A arquitetura contemporanea e as grandes esquadrias personalizadas

Por Thomas Goerigk

29.04.2015

O arquiteto contemporâneo tem buscado os grandes vãos de abertura na intenção de integrar o interior e o exterior, e aproximar cada vez mais a paisagem para dentro do ambiente. Esses grandes vão com esquadrias personalizadas e grandes folhas de vidro estão agregando vários novos conceitos aos projetos arquitetônicos, trazendo características como luminosidade natural para os ambientes, além de um design muito mais moderno e ousado, difícil de ser encontrado em obras mais antigas justamente pela dificuldade de operação.

No mercado nacional e ao redor do mundo é possível encontrar diversos projetos com fachadas de vidro, grandes vãos e design com janelas amplas, e agora se apresenta a tendência do uso das esquadrias como divisórias de vidro em ambientes corporativos. Um exemplo desse estilo de arquitetura é o Projeto Arquitetônico de Rosane Leitzke Arquitetura para uma obra de residência para veraneio com 220,00 m2 de área construída, em estilo contemporâneo com uma porta de aproximadamente 7m de largura e 2,1 metros de altura.

Com a adoção de perfis de PVC, personalizados com esquadrias sob medida, a viabilidade e facilidade de implantação destes projetos ajuda a concretizar a visão dos arquitetos. A durabilidade inerente ao material e a leveza, além da alta capacidade de isolamento térmico e eficiência acústica na diminuição de ruídos também habilita o uso dessas esquadrias e vitrais como divisórias nos ambientes. Esse uso das esquadrias e vidro permite dividir o espaço mantendo-o amplo, e o mercado das divisórias de escritórios é crescente.

Mas também temos de levar em conta a questão sustentável que hoje se faz necessária devido a escassez de recursos naturais cada vez mais presente em nossa sociedade. Além de as janelas e as fachadas contribuírem para a economia energética ao prover isolamento térmico reduzindo gastos com aquecimento ou ar condicionado, o PVC é uma alternativa sustentável em relação a outras matérias primas. O PVC pode ser reciclado várias vezes sem perder as suas propriedades originais e sua principal matéria-prima é o um recurso natural renovável (sal marinho).

Ao projetar o tamanho da janela ou porta é preciso levar em conta o peso e a possível motorização da peça para facilitar o acionamento. Na fase de construção, além da logística, também deve ser considerado o transporte e colocação das folhas, com cuidado no desenvolvimento da esquadria para que se encaixe perfeitamente no vão projetado.

Ao usar vidro a própria essência da arquitetura pede grandes vãos, um trabalho possibilitado pela produção das grandes folhas de vidro onde antes precisávamos fazer janelas com dimensões menores. No caso das divisórias de vidro para ambientes corporativos, a arquitetura permite a expansão visual, mas com a proteção contra ruídos, trazendo visibilidade e transparência e de certa forma integrando o espaço de trabalho com a percepção de todas as equipes e ambientes internos. 

Com soluções personalizadas conseguimos alavancar no futuro este tipo de sistema no mercado, onde cada vez mais se fazem necessárias grandes aberturas e luminosidade, trazendo todos os benefícios já comentados com soluções de PVC ao design arrojado dos grandes vãos e uso do vidro na arquitetura.


Engineering progress

Enhancing lives